telefones
(11) 3901-1104 / 3901-3793 / 3901-3723

logotipo grupo light
Redução de Custos

Redução de Custos

Soluções praticas para reduzir os custos de sua obra sem comprometer a qualidade
 
 
Existem soluções criativas para gastar menos na sua obra e que podem ser aplicadas da estrutura ao acabamento, porem é preciso cuidados para não comprometer a edificação.
As dicas abaixo, se adotadas com critério, são capazes de reduzir significativamente os custos:
 
1.     Telhado simplificado
Telhado de varias faces dá movimento à fachada da casa, mas a opção por duas, ou uma face barateia o custo em cerca de 20% por simplificar a estrutura. O efeito aparentemente menos expressivo pode ser compensado com janelas emolduradas ou cores fortes nas paredes. O projeto da casa deve ser retangular, reentrâncias de mais não comportam esse tipo de telhado.
 
2.     Áreas agrupadas
Em vez de distribuir banheiros, cozinha e área de serviço em pontos esparsos o ideal é agrupá-los em uma parte da casa. Há uma grande economia nos encanamentos e na mão de obra. Um projeto de churrasqueira perto da cozinha, dispensa a construção de uma bancada com pia para servir a área de lazer. O banheiro pode ser pequeno, mas deve ser funcional, é viável montar o lavatório do lado de fora.
 
3.     Azulejo, só o indispensável.
Como a colocação de revestimentos é uma etapa geralmente cara, os azulejos podem se limitar só às áreas em contato direto com a água, como as paredes perto do chuveiro e da pia. No resto, pode-se adotar uma tinta antimofo, gerando uma economia de até 40%.
 
4.     Tijolo aparente
É possível usar tijolos aparentes por dentro e por fora da casa. Geram economia não só porque dispensam reboco, massa e pintura, mas também por Ter manutenção mais fácil. Pintura suja com facilidade, mas para usar esse recurso os tijolos precisam ser assentados com cuidado. Pode-se economizar de 25 a 35% do valor da obra.
 
5.     Conduíte e encanamento à mostra
Como todo sistema elétrico e de encanamento é instalado depois de erguidas as paredes, é preciso quebrá-las para alojar os tubos e depois refazê-las. O uso de conduites e encanamentos aparentes proporciona economia de cerca de 10% no custo. Além de evitar o desperdício inicial, ainda pode facilitar depois a manutenção. E é uma solução que esta na moda, principalmente em lofts e construções rústicas.
 
6.     Piso de cimento queimado
Embora exija mão-de-obra especializada, já que mal colocado pode trincar, o piso de cimento queimado é uma opção mais barata do que os outros revestimentos. Pode-se incrementar o piso com madeira, mosaicos de vidro ou cerâmicos e até tingir o cimento de outras cores.
 
7.     Varanda simulada
Em vez de estender o telhado, revestir o piso e fazer uma grade sai mais barato fazer a varanda apenas com cimento em volta da casa ou em uma face. Vasos, canteiros, toldo e moveis apropriados fazem o resto. Para o chão pode-se usar frisos e mosaicos de ladrilho hidráulico.
 
8.     Sem laje
Em casa de dois pisos, o assoalho de madeira no superior pode servir de forro para o térreo, alem de dispensar laje, contra-piso e revestimento. É melhor evitá-la na área da cozinha e da sala de jantar, já que, com o movimento, as tabuas às vezes soltam poeira.
 
9.     Espaços interligados
Quanto menos paredes, mais em conta sai a obra. É o estilo inspirado nos lofts norte-americanos, ou seja, a ausência de paredes internas e pé-direito alto.
 
10.  Material de demolição
Tijolos, madeiras, portas, janelas. Os materiais de demolição podem ser uma boa saída para gastar menos, basta atenção ao seu estado de conservação. No caso de tijolos e telhas, confira a uniformidade das peças, e quando for madeira, verificar se há cupins. Em certos casos, recuperar uma porta sai mais caro do que comprar uma nova.
 
11.  Vidros fixos
A diferença de preços entre uma janela e caixilhos fixos chega a 50%. Economiza-se, sobretudo, em ferragens. Para garantir luminosidade, podem-se usar esquadrias e deixar as janelas restritas à função de ventilação em pontos estratégicos, verificando se isso não vai prejudicar a circulação de ar.
 
12.  Produto pronto
Usar esquadrias, janelas e prontas já prontas custa menos do que encomendar. Há uma grande variedade de modelos feitos com diferentes madeiras. Tendo as peças selecionadas antecipadamente, pode-se fazer a abertura na medida certa, evitando ainda quebras para o encaixe.
 
13.  Armários sem forro
Os armários embutidos e os de cozinha pesam menos no bolso sem o forro colocado contra as paredes. A solução alem de economizar metros quadrados de madeira e fórmica, facilita a higiene, sobretudo na cozinha, onde a gordura sempre se aloja entre a parede e o forro dos armários. A economia é de 30% em comparação com o tradicional.
 
14.  Forro de pinus
É possível achar varias opções de madeira mais barata para o forro no mercado. Entre elas, uma das mais econômicas e a de pinus. Outra facilidade, é poder pintar o forro caso o morador queira.
 
15.  Pedra portuguesa
Muito comum em praças e passeios públicos, a pedra portuguesa, pode ser usada para o revestimento de áreas externas da casa sem afetar muito o orçamento. Proporciona um tom mais rústico a área e dispensa a impermeabilização.
 
16.  Sala econômica
Pode-se reduzir os gastos da obra dispensando a colocação do forro da sala. O recurso não compromete a aparência do cômodo. Quanto maior o ambiente, maior será a economia gerada. É uma solução muito usada em casas de campo e praia.
 
 
Como calcular o seu orçamento
 
Ao calcular os gastos com a reforma, lembre-se que contratar mão-de-obra especializada aumenta a conta. Afinal, o profissional é responsável pelo trabalho.
Uma das vantagens de ter um profissional ou uma empresa especializada a frente do trabalho é a elaboração de um orçamento preciso. Os preços propostos no contrato incluem material, mão-de-obra e encargos sobre a obra.
Há quem prefira cobrar uma porcentagem do valor ou da metragem da obra; também há consultas por hora técnica. O projeto também é cobrado.